Emissor Radiônico
A física quântica e a nanociência trouxeram muitos fantasmas  do outro mundo para este.
Vieram colocar em dúvida negativas clássicas para fenômenos milenares.
A radiônica ainda é uma controvérsia científica.
Enquanto alguns já aceitam os fenômenos radiônicos como fatos reais, apesar do desconhecimento de suas leis, outros a rechaçam ferozmente.
Os fenômenos radiônicos já eram conhecidos dos chineses e egípcios há milhares de anos mas são considerados pela ciência como superstição.
Apesar disso a quantidade de seus adeptos já é bem grande e cresce mais a cada dia.
Segundo seus seguidores, a  energia sutil pode ser detetada e enviada a qualquer distância por aparelhos, figuras ou seres humanos.

Para testar a eficácia da radiônica pode-se concentrar nas palavras do gráfico, durante um período maior que 3 minutos e verificar depois os resultados.

Para saber mais sobre radiônica CLICK AQUI.

   Casa      A Glândula Pineal e o 3D
Traduzir esta página
 
LINKs
 


 
 
 
CyberLink Media Suite 9
 
 
Roxio's Award Winning Products
 
Avira Antivirus Premium 2012 - Experimente gratis
 



FIGURAS 3D
VIDEOS EM 3D
Necessita-se óculos Azul/Vermelho

 
 
 

A Glândula Pineal e as Imagens e Vídeos em 3D

Para ver a figura em 3D fixe o olhar em um ponto no centro da figura e aproxime-se e afaste-se devagar da tela até encontrar a distância adequada.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Se conseguir ver uma concha acústica com duas fileiras de dançarinas . . .


Não perca tempo, experimente.

   Ao conseguir ver em 3D, todos os pássaros aparecerão ordenados ...
Há algumas décadas, acreditava-se que a glândula pineal fosse um órgão vestigial, sem função atual. Aaron Lerner e colegas da Universidade de Yale descobriram que a melatonina está presente   em altas concentrações na pineal.

A melatonina é um hormônio derivado do aminoácido triptofano, que tem outras funções no sistema nervoso central. A produção de melatonina pela pineal é estimulada pela escuridão e inibida pela luz.

As pesquisas recentes sobre as funções da glândula pineal e de seu principal produto, o hormônio melatonina, despertaram um grande interesse público nesta última década em função da descoberta do papel da melatonina na regulação do sono e do ritmo biológico [ritmo circadiano] em humanos.

A produção de melatonina pela glândula pineal é cíclica, obedecendo um ritmo diário de luz e escuridão, chamado ritmo circadiano. Nos seres humanos, a produção de melatonina ocorre durante a noite, com quantidades máximas entre 2 e 3 horas da manhã, e mínimas ao amanhecer do dia. 

Tanto a luz como a escuridão transmitem o sinal dos olhos para a glândula pineal, determinando a hora de iniciar e parar a síntese da melatonina. A produção noturna de melatonina levou à rápida descoberta do seu papel como indutor do sono em humanos, e como restauradora dos distúrbios decorrentes de mudanças de fuso horário (jet-lag), no início dos anos 90.

Frequentemente, a glândula pineal surge como o centro de nosso relacionamento com outras dimensões, e tem sido assim nas mais variadas correntes religiosas e místicas. O mistério não é recente. Há mais de dois mil anos, a glândula pineal, ou epífise, é tida como a sede da alma. Para os praticantes do ioga, a pineal é o ajna chakra, ou o "terceiro olho", que leva ao autoconhecimento. O filósofo e matemático francês Renê Descartes, em Carta a Mersenne, de 1640, afirma que "existiria no cérebro uma glândula que seria o local onde a alma se fixaria mais intensamente", e esse local é considerado a glândula pineal.

Muitas são as recomendações para o desenvolvimento da pineal. Entre estas, está a prática de olhar figuras e vídeos em 3D.

Nada se tem a perder ao olhar as figuras, já que ao conseguir ver a imagem em 3D se tem uma sensação agradável que somente aqueles que conseguem ver ou já viram sabe.